ESCOPO – Estudos dos Coletivos de Trabalho e das Práticas Organizacionais

O ESCOPO – Grupo de Estudos dos Coletivos de Trabalho e das Práticas Organizacionais (www.escopo.uff.br) surgiu em 2013, com a proposta de fazer análise crítica da área mais conhecida como Gestão de Pessoas. Orienta-se por duas linhas de pesquisa: a) Discurso organizacional; b) Estudos Críticos dos Subsistemas de Recursos Humanos e dos Modelos de Organização do Trabalho. A primeira voltada à análise da produção e reprodução de ideias, valores e crenças, que sugerem um imaginário social pautado em referências das Organizações, com “O” maiúsculo. A segunda pretende estudar criticamente as práticas de RH – Recursos Humanos, tais como “avaliação de desempenho”, “treinamento e desenvolvimento”, “remuneração e carreira”, dentre outras.

O ESCOPO acolhe projetos de pesquisa que pretendem analisar criticamente tanto os subsistemas de Recursos Humanos, quanto outras formas de gestão de pessoas, que possam colocar em risco à saúde psicológica e social de coletivos de trabalho.

O eixo norteador dos estudos está configurado pelos princípios teórico-metodológicos do Critical Management Studies (Estudos Críticos Organizacionais) e pela Psicodinâmica e Clínica do Trabalho, nos quais o ideal de solidariedade e participação ativa dos sujeitos, rumo a organizações do trabalho dignificantes do ser humano, sobrepõem-se aos interesses do Capital.

A partir de 2016, o ESCOPO passou a estudar, também, “trabalho análogo à escravidão” e “escravidão contemporânea” ou “neoescravidão”, pois as pesquisas sobre violência real e simbólica, nas organizações modernas, em políticas e práticas de relações de trabalho assim o direcionaram. Para esse e outros vieses já apontados acima, tem-se estabelecido parcerias com outros órgãos e grupos interessados nesse campo de conhecimento, tais como o Laboratório de Psicodinâmica e Clínica do Trabalho da UnB – Universidade de Brasília (lpct.com.br) e o ERAPP – Équipe de Recherche et d’Analyse des Pratiques Professionnelles, da Université du Québec à Montreal.

O ESCOPO tem organizado seminários, produzido livros e artigos, e feito o laboratório de projetos de pesquisa, em nível de graduação, especialização, mestrado e doutorado. Atualmente, o ESCOPO é coordenado pelo Prof. Fernando de Oliveira Vieira, Prof. Associado II da UFF – Universidade Federal Fluminense. O grupo de docentes do ESCOPO tem formação multidisciplinar, passando pelas áreas de Educação, Psicologia, Direito e História, o que tem contribuído, para o amadurecimento dos debates em torno das relações de trabalho, na contemporaneidade. Para conhecer o time completo do ESCOPO, pode-se visitar o diretório de grupos de pesquisa no CNPq, em  http://lattes.cnpq.br/web/dgp

 

Copyright 2018 - STI - Todos os direitos reservados